13 de agosto de 2020 Home | Conte sua história | Cadastre-se | Sobre nós | Fale Conosco | Anuncie aqui
 
 
Voltar para a home do GEx
twitterFacebook    Editorial GEx
pesquisar
 
   
 
Coluna do Raimundo
 
 
Postado em 25/6/2002

The Naked Cowboy

Por Raimundo Penaforte
raimundo@globalexchange.com.br

Como já disse antes, tem coisa que só se vê aqui em Nova York.

Voltando outro dia de uma apresentação — em uma das lojas de discos da rede HMV — na quinta avenida em Manhattan, notei um aglomerado de pessoas na altura da quadragésima sexta rua (46th Street), próximo à Times Square.

O meu relógio marcava 15h30 e o tráfico — de pedestres, carros e "turistas" — ainda não havia atingido o tumultuado nível oficial de rush hour.

No meio da avenida, em uma calçada pontiaguda que divide a avenida Broadway e a Sétima avenida, antes das duas cruzarem uma com a outra — em um espaço para não mais que cinco pessoas que estejam passando para o outro lado dessa larga avenida —, se encontrava um fariseu alto (de aproximadamente dois metros de altura), loiro, forte (com músculos por todos os lados), cabelos longos e lisos e tocando um violão listrado (com listras de uma polegada e meia de largura cada) vermelhas, azuis e brancas; ou seja, a bandeira americana adicionada de seis cordas, dez dedos e uma palheta.

Ele cantava, cantava... e não parava de cantar. Mexia, remexia os quadris... e "Tra-lá-lá / tra-lá-lá-lá-lá-lá-lá...", seguia cantando. Não consegui decifrar o que ele cantava nem o que dizia, talvez porque eu estivesse do outro lado da avenida.

Uma coisa era certa: ninguém estava ali para ouvir a sua voz, se é que ele tinha alguma, ou para ouvir seu violão, se é que ele tocava alguma coisa. O que atraía mesmo o público era o seu ultraje a rigor, ou talvez a falta de um.

A(s) única(s) coisa(s) que vestia o tal cowboy, era(m): um chapéu (de cowboy americano), um par de botas de couro estilo cano longo com salto pontudo e com a palavra tips (trad.: gorjetas) escrita verticalmente em cada lado de cada uma delas e... [sons de tarol: trrrr...!!!] uma cueca branca com a escrita na bunda em letras vermelhas garrafais: Naked Cowboy. Isso mesmo, "a naked cowboy", como dizemos em português novaiorquino. E "Tra-lá-lá-lá-lá!", seguia ele cantando e remexendo mais que o Sidney Magal.

Ao presenciar daquilo, pensei cá comigo: "Tamanho homenzarrão, de cueca e agarrado a um violão colorido, cantando não se sabe o que e vindo não se sabe de onde. Será que isso pega?"

Não cheguei mais perto para decifrar o que cantava com medo que aquilo realmente pegasse. Sabe como é, ando com o sistema imune meio abalado...

O mais interessante era o fato das pessoas colocarem dinheiro dentro das botas dele e algumas mulheres turistas (pelo menos aparentavam sintomas de turistas) se agarrarem ao seu pescoço para baterem fotos com ele que, sem perder seu remelexo, se comportava como o Elvis Presley dentro do banheiro e sem ninguém por perto: "Tra-lá-lá-lá-lá/Uôu-uôu-uôu, yeah!".

Perguntei a um casal ao meu lado — na faixa dos 75 anos de idade — o que eles achavam daquilo tudo. "Uma pouca vergonha!", disse o cidadão que vestia uma camisa quadriculadíssima, uma calça jeans azul, um tênis branco novo e uma câmera fotográfica pendurada no pescoço. "Não vejo nada demais!", comentou a parceira também trajada turisticamente (como manda o figurino) e com um largo sorriso estampado no rosto.

Como eu estava com meu violino em mãos, falei para o casal que iria em casa pegar minha cueca branca "Naked Violinist"... e que voltaria para assumir o posto, assim que o show do cowboy terminasse. Ambos sorriram com ar de aprovação.

Claro que não fiz isso. Detesto chapéu de cowboy e... por outro lado, vai que essa onda pega...

Eu, hein?!!


Raimundo Penaforte
raimundo@globalexchange.com.br

Raimundo é compositor e correspondente do Global Exchange em Nova York.

 

Sobre o autor...

Raimundo Penaforte

Músico, compositor e arranjador é um dos mais prolíferos músicos brasileiros de sua geração. Suas músicas têm sido apresentadas na Europa, Canadá, Japão e no Brasil. Nos Estados Unidos, a música de Raimundo tem sido tocada nos mais importantes locais do país como a Casa Branca, Kennedy Center, Kravis Center e Lincoln Center for the Performing Arts.

Saiba mais - Apresentação

Raimundo Penaforte
raimundo@globalexchange.com.br


Últimos artigos de Raimundo Penaforte

Compositor é residente da Unicamp
Olha esse céu de Londres
Dicas de viagem
Tocando ou Compondo
Jingle Bell, Mr. Noel!
Hino Nacional
Music at the Deli
Atenção, camera! Ação!!
Um Músico com muitas habilidades
Lançamento do Livro: Em sintonia com a música

Veja todos os artigos publicados por Raimundo Penaforte clicando aqui.


Especiais GEx
Dinheiro e sonhos

Dinheiro e sonhos
Previdência Privada

Carreira e Sucesso

Carreira e Sucesso
Empreendedoras em atendimento

Sustainable Cities

Sustainable Cities
Você faz a diferença!

Sustainable Cities

Sustainable Cities
Onde e Como Vivemos

Especiais GEx

 
   
 
© 2020 Global Exchange. Todos os direitos reservados.