21 de julho de 2018 Home | Conte sua história | Cadastre-se | Sobre nós | Fale Conosco | Anuncie aqui
 
 
Voltar para a home do GEx
twitterFacebook    Editorial GEx
pesquisar
 
   
 
Sustainable Cities
 
 
Postado em 10/1/2006

Aliviar a Pobreza - O verdadeiro mecanismo de desenvolvimento limpo

Por Eugenio Singer
singer@globalexchange.com.br

É impressionante como a humanidade consegue se esconder atrás dos seus grandes erros.

Bastou a inteligência de Harvard pensar na forma de traduzir a poluição atmosférica em ganhos de derivativos financeiros, que o mundo todo se envolveu na questão de Quioto e do tão falado Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL).

Gases de Efeito Estufa! Este trinômio também conhecido pelas letras GHG (Green House Gases) já movimenta bilhões de dólares mundialmente. E esta cifra subirá tranqüilamente aos dois dígitos até o fim do Protocolo de Quioto em 2012. Os economistas, atordoados, já começam a pensar no período pós Quioto, afinal a temperatura da Terra está subindo!

A verdade é que a temperatura da Terra não está somente  aumentando face à enorme quantidade de emissões destes gases, gerados pela queima de combustíveis fósseis, pelas queimadas e desmatamentos, pelos gases emanados dos aterros sanitários ou pela produção extensiva de gado. A temperatura da Terra aumenta significativamente porque não encontramos um mecanismo para aliviar a pobreza. A pobreza, centrada no grande aumento demográfico deve aumentar o calor no planeta de forma muito mais significativa do que as emissões geradas pelos países desenvolvidos. Para verificar esta hipótese basta fazer o teste e calcular o seu impacto sobre o clima. Verão que se todos tivessem o consumo que têm, no mínimo, precisaríamos de 4 Planetas Terra, para absorvê-los

Precisamos reconstruir o modelo criado pelas Nações Unidas e Agências Multilaterais. O mundo mudou demais nos últimos 60 anos e perpetuamos um sistema financeiro arcaico e paquidermal.

É sabido que quase 30% dos empréstimos contraídos pelos países membros do sistema financeiro internacional, vai para a corrupção e não atinge o seu devido fim, que seriam os projetos de desenvolvimento e alívio da pobreza. Sabe-se também que se muitos países não tivessem contraído dívidas com Bancos Regionais ou Mundiais de Desenvolvimento estariam em melhores condições no mundo de hoje, pois pesam sobre eles dois grandes fardos: o da dívida e dos respectivos juros e os projetos não desenvolvidos. Todos sabem disto. Só faltam aparecer um Jefferson e dois publicitários para revelar!

Os governos não são mais soluções, ao contrário são "sinks" ou drenos de investimentos.

Talvez o ex-presidente Bill Clinton tenha mesmo razão, ao afirmar que o fenômeno da consolidação das ONG's, seja uma das soluções para  o alívio da pobreza mundial. Clinton afirma ainda que mesmo em um país com governança pouco efetiva, quando uma rede de ONG's chega, o trabalho delas pode salvar muitas vidas, abrir empresas e promover o desenvolvimento.

Será que toda inteligência acadêmica mundial é incapaz de pensar em um MDL para a aliviar a pobreza? É difícil pensar, que ao invés de investir nos países do Anexo I do nível de desenvolvimento, não poderiam investir em países onde cada dólar teria um efeito multiplicador altíssimo para reduzir a temperatura da terra,   aliviando a pobreza? Ou será que os intelectuais pensadores,  continuarão fechando seus olhos e pensando que o futuro que lhes caberá será sua exclusão do mundo social e o confinamento para pensar confortavelmente? Será que querem mesmo um mundo virtual, livre das imagens desoladoras que vivemos atualmente?

Se cada um cumprir com a premissa básica da Clinton Global Initiative (CGI): de sair com uma lista de tarefas para aliviar a pobreza, quantos pobres nós conseguiremos transformar? Estas seria a principal meta real do milênio: a capacidade individual de abdicar do consumo e aliviar a pobreza.

A conta parece complexa para as mentes brilhantes, mas pode ser simples e indolor. Bastaria que todas pessoas que voam de avião doassem suas milhas para um projeto de alívio da pobreza. Sabe-se que hoje, o valor nominal das milhas, é equivalente ao capital em uso no planeta, ou seja, cerca de U$ 900 bilhões, uma soma suficiente para melhorar a qualidade de vida neste mundo, sem passar pelas agências multilaterais obviamente! Ademais, deixar de usufruir as milhas obtidas não é de todo mal, visto o risco que aviação nos tem imposto. Vale a pena tentar! Quem cria a conta?

Eugenio Singer

Eugenio Singer é empresário e engenheiro ambiental e escreve periodicamente para o Global Exchange sobre ecologia e desenvolvimento de cidades sustentáveis.

Artigos relacionados

O seu impacto sobre as mudanças climáticas
A Indústria e as Cidades Sustentáveis
Green Cities, and Hanging Fruits.

Links de interesse

Instituto Pharos - Em defesa do Oceano

 

Sobre o autor...

Eugenio Singer

Eugenio Singer é um empresário, consultor e um pensador na área de sustentabilidade.

Saiba mais - Apresentação

Eugenio Singer
singer@globalexchange.com.br


Últimos artigos de Eugenio Singer

Você faz a diferença!
Onde e Como Vivemos
Mundo Sustentável 2
Lojas de Inconveniência
A Engenharia Caseira
Cidades e Soluções
China - População X Poluição?
O seu impacto sobre as mudanças climáticas
Virtuópolis: A Nossa Cidade do Futuro
Brasil - O maior PIB do mundo

Veja todos os artigos publicados por Eugenio Singer clicando aqui.



Especiais GEx

Especiais GEx

 
   
 
© 2018 Global Exchange. Todos os direitos reservados.