15 de dezembro de 2018 Home | Conte sua história | Cadastre-se | Sobre nós | Fale Conosco | Anuncie aqui
 
 
Voltar para a home do GEx
twitterFacebook    Editorial GEx
pesquisar
 
   
 
Climate Change
 
 
Postado em 26/1/2009

Humanidade no banco dos réus

Relatório do IPCC atribui com firmeza a culpa pelo aquecimento global ao homem

Por Samy Hotimsky
samy@globalexchange.com.br

Relatório do IPCC atribui com firmeza a culpa pelo aquecimento global ao homem; temperatura média do planeta deve subir 4ºC até 2100.

É possível afirmar com pelo menos 90% de certeza que as mudanças climáticas das últimas décadas são conseqüência das emissões de dióxido de carbono e de outras atividades humanas. Esse é um dos principais pontos da primeira parte do novo relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), divulgada nesta sexta-feira (02/02) em Paris. De acordo com o diretor do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente,  Achim Steiner, "não é mais possível ignorar as evidências" de que a atividade humana está impulsionando o aquecimento do planeta.

Essa confiança se deve a um melhor entendimento das influências do homem sobre o clima desde o último relatório, de 2001. O texto destaca que a concentração de gás carbônico - o mais importante gás do efeito estufa - na atmosfera aumentou de 280 para 379 ppm (partes por milhão) desde a revolução industrial. Os principais motivos para esse aumento são a queima de combustíveis fósseis e mudanças no uso da terra, como avanço da agricultura e do desmatamento.

O documento, resultado do trabalho de 2500 cientistas de 130 países que passaram os últimos seis anos analisando todas as pesquisas sobre  clima, traz perspectivas ainda mais alarmantes do que o anterior. Catástrofes ambientais se anunciam e algumas mudanças parecem irreversíveis mesmo que o homem diminua as emissões de gases de efeito estufa.

Segundo a avaliação, a temperatura média global deve aumentar entre 1,8 e 4ºC até 2100. No pior cenário imaginado pelos especialistas, o de um mundo globalizado e com rápido crescimento econômico impulsionado pelo uso intenso de combustíveis fósseis, o aquecimento pode chegar a 6,4ºC. O calor excessivo pode, por exemplo, fazer o gelo do Pólo Norte desaparecer até a virada do século.

A elevação do nível dos oceanos é outro efeito esperado. O derretimento de geleiras, aliado à expansão da água provocada pelo calor, deve resultar em mares entre 18 e 59 centímetros mais altos do que os níveis do final do século XX. No entanto, pouco se sabe sobre os efeitos do aquecimento sobre as camadas de gelo da Antártica e da Groenlândia, que podem ser os principais fatores para o aumento do volume dos mares.

O aquecimento global deve intensificar ainda a atividade de tempestades tropicais e furacões. O relatório classifica como "provável" - o que, no documento, equivale a uma probabilidade maior do que 66% - o aumento da ocorrência desse tipo de fenômeno ao longo do século XXI.

Efeitos no Brasil - De acordo com as previsões do IPCC, as conseqüências da mudança climática devem ser menores por aqui, mas de efeito nada desprezível sobre as atividades econômicas e o cotidiano das pessoas.  O aumento da temperatura nos próximos vinte anos não deve ultrapassar 1,5ºC na América do Sul. Até o final deste século, na pior das hipóteses, o Brasil terá um aumento de até 4ºC no interior do país e de até 3ºC na costa. No extremo norte do planeta o aumento da temperatura pode ultrapassar os 7,5ºC no pior cenário previsto pelo relatório.

Já as chuvas devem diminuir no Brasil. Enquanto parte do hemisfério norte deve ter um aumento de 10 a 20% no volume das chuvas, a precipitação no continente sul-americano deverá diminuir na mesma proporção, especialmente nos invernos.

© Revista Pesquisa FAPESP - Todos os direitos reservados.

Artigos relacionados

Futuro Radical
Os Herdeiros de Quioto
Aquecimento Global e o Risco Coronariano

Links de interesse

Revista Pesquisa FAPESP

 

Sobre o autor...

Samy Hotimsky

Saiba mais - Apresentação

Samy Hotimsky
samy@globalexchange.com.br


Últimos artigos de Samy Hotimsky

Acumulando Milhas e Gases de Efeito Estufa
Efeito Estufa - Turbinou os Furacões em 2005
Mitigação e Adaptação através das Mamonas
Quem é Samy Hotimsky
Kilimanjaro Como Nunca Antes Visto

Veja todos os artigos publicados por Samy Hotimsky clicando aqui.



Especiais GEx

Especiais GEx

 
   
 
© 2018 Global Exchange. Todos os direitos reservados.