24 de setembro de 2018 Home | Conte sua história | Cadastre-se | Sobre nós | Fale Conosco | Anuncie aqui
 
 
Voltar para a home do GEx
twitterFacebook    Editorial GEx
pesquisar
 
   
 
Sustainable Cities
 
 
Postado em 10/4/2011

Lojas de Inconveniência

Fazendo valer a Lei Seca

Por Eugenio Singer
singer@globalexchange.com.br

POSTOS DE GASOLINA E AS LOJAS DE INCOVENIÊNCIA

É impressionante como a retórica tem prevalecido no campo da sustentabilidade.

Sabemos hoje que uma das maiores causas de morte é o trânsito. Nas estatísticas dos acidentes  a embriaguez está entre um dos principais fatores de acidentes com vítimas. Infelizmente muitas dessas vítimas são jovens entre 18 e 30 anos e principalmente do sexo masculino.

As grandes distribuidoras de combustível entre elas a SHELL, BR DISTRIBUIDORA, COSAN/ESSO, IPIRANGA entre outras, para atrair e fidelizar mais seus clientes criaram há algum tempo as suas lojas de conveniência.  Estas lojas que entre outros tantos artigos necessários para o consumo dos motoristas que abastecem em seus postos, também vendem e promovem o consumo de bebidas alcoólicas, principalmente para jovens.

Apesar do enorme esforço do governo, através de campanhas educativas, para se evitar dirigir após beber e da suposta  responsabilidade social das empresas de combustível, estas insistem em promover o consumo de bebidas alcoólicas em suas LOJAS DE INCOVENIÊNCIA.

Se não bastasse a insensatez e contradição das ações de sócio responsabilidade,  as lojas de inconveniência  tem ajudado a concentrar um grande número de jovens que ali se encontram para o “esquenta” de suas baladas noturnas, ou para o “ esfria” das altas temperaturas alcançadas nestas noitadas. E nelas bebem socialmente, de forma indiscriminada, motoristas e passageiros que transferem para as vias públicas os perigos da direção perigosa.

Mais recentemente não só o consumo de bebidas nas lojas de inconveniência tem se destacado, mas também o ruído e desordens perturbando a tranquilidade noturnas dos bairros e que muitas vezes acabam em atendimento policial e reportagens televisivas.

Acho que está na hora das autoridades municipais firmarem um pacto com as grandes irmãs para contribuir com a redução dos riscos e promover um real compromisso com a sustentabilidade e responsabilidade social. Assim como nas estradas, onde é proibido a venda de bebidas alcoólicas, deve-se proibir a venda das mesmas nas lojas de conveniência.

A análise dos resultados destas medidas, sem dúvidas alguma gerarão mudanças positivas nos números desalentadores de acidentes de trânsito com vítimas.

Aquelas  empresas que primam pelos seus resultados sociais e que gostariam de fidelizar clientes os quais acreditam nestes valores, poderiam ter a iniciativa independente das ações coercitivas do poder público e suspender a venda de bebidas alcoólicas em suas lojas. O consumidor responsável e os pais destes jovens induzidos ao consumo de bebidas pela livre e conveniente oferta agradecem! Chega de sócio irresponsabilidade!

 

Sobre o autor...

Eugenio Singer

Eugenio Singer é um empresário, consultor e um pensador na área de sustentabilidade.

Saiba mais - Apresentação

Eugenio Singer
singer@globalexchange.com.br


Últimos artigos de Eugenio Singer

Você faz a diferença!
Onde e Como Vivemos
Mundo Sustentável 2
A Engenharia Caseira
Cidades e Soluções
China - População X Poluição?
O seu impacto sobre as mudanças climáticas
Aliviar a Pobreza - O verdadeiro mecanismo de desenvolvimento limpo
Virtuópolis: A Nossa Cidade do Futuro
Brasil - O maior PIB do mundo

Veja todos os artigos publicados por Eugenio Singer clicando aqui.



Especiais GEx

Especiais GEx

 
   
 
© 2018 Global Exchange. Todos os direitos reservados.